domingo, 26 de agosto de 2007

E quem vai dizer que não é?

Na necessidade de dar uma forma à nova situação, a criança olha e olha o umbigo fundo da tia grávida de sete meses - bem centralizado no meio da barriga redonda - e arrisca, pretendendo uma comunicação mais estreita com aquele que será seu futuro companheiro de brincadeiras e travessuras:


- Olha o olho do Rodrigo!

@para Jade e Rodrigo,
que entendem a vida bem além dos limites da carne...

2 comentários:

Elis disse...

...E a mãe do Rodrigo completou: "é mesmo Jajade. E vc tá vendo como o olho dele é azul?". O que a menina, com os olhos bem atentos, respondeu, de imediato: "hum, hum..."
Yvette, só você para textualizar, de forma tão bela, este momento tão sublime...
Beijo. Meu, da Jade, e do Rodrigo.

Maria Moura. disse...

eu não conhecia esse desfecho, Elis, mas achei tão poético e lúdico quanto o início da história.
deu até vontade de completar... rss

mas o seu comentário já cumpre muito bem esse papel!

um beijo grande para vocês também, moça.