terça-feira, 28 de julho de 2009

Borboleta

(foto: Yvette Moura)
Pois é, amiga. Segue a tua vida!
Lenta, mas continuadamente...
Levanta a cabeça! E não te esqueças:
A vida é uma experiência infinda,
muito mais que linda...
Embora as tantas voltas que ela possa dar,
embora rodopies algumas vezes,
segue em linha reta: sempre em frente!
Elege as tuas metas e avança decidida
i-n-c-e-s-s-a-n-t-e-m-e-n-t-e.
Vai, irmã! Pega as ferramentas que trazes nas mãos
e lança-te ao trabalho:
constrói a tua escala evolutiva, que
– v-i-v-a-a-a-a-a-a-a-a-a-a-a-! –
te erguerá do chão ao cuma das montanhas
até que possas voar.

2 comentários:

.Lis disse...

Em passo lento ou apressado, em descompasso , a vida passa e nós passamos ...
Linda sua poesia,Maria.
Abraços

G I L B E R T O disse...

Maria

Poesia marcante!

Gostei de verdade!

Virei seu seguidor!

Abraços e sejas feliz!

Estarei sempre por aqui...