quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Teu tempo

(Foto: Jakeline Siqueira)


Porque a vida é maior do que o instante em que me debruço sobre a janela e vejo passar o dia, como uma nuvem que se dissolve sob o calor do verão; porque o amor transcende todos os conceitos, todas as palavras, toda e qualquer demonstração de afeto; porque a saudade, a ausência, a perda é uma dor que só sabe quem sente, pois não se explica nem se pode traduzir com frases ou gestos.... Por isso é que deito aqui o meu canto solidário, que não tem pergunta nem resposta, princípio nem fim: apenas se alonga num eterno ‘agora’ – tempo em mutação. E sofrendo a leveza de ser só, rogo aos céus para que passe logo essa tua solidão, feito mormaço bafejado pela brisa, pois sei que não deve ser fácil perder exatamente quando se julgava o jogo ganho. Por isso deixo escorrerem pelos meus dedos palavras de consolação, que podem ser guardadas, se assim preferires, para dias mais sombrios, tardes mais compridas, outras noites insones.... Toma! Embala para presente a dor que é só tua, e recicla o mimo que a vida te oferece em meio a lágrimas e dor. Renova os sentimentos, tira do alforje o velho sorriso e segue vida afora, cantarolando a sina do dia e entregando aos céus o tempo que ainda não te pertence. Toma o que é teu e segue em frente, no tempo de agora, porque é tudo o que tens por ora. Pois o futuro, este terreno impreciso, é uma tela que só será pintada, definitivamente, com as tintas e os pincéis do Criador.

@para Ana C.

2 comentários:

Anônimo disse...

Lindo.

Carla Polyana

Ana Paula Costa disse...

Minha linda, Parabéns pelo lindo e sensível texto. Você expressou o Amor realmente como ele é... Transcende todas as palavras... A perda é uma dor que quem já passou sabe o vazio que invade o coração, ainda mais quando essa perda é de um grande AMOR, como o de MÂE. A saudade é ETERNA, porém não é triste, mas dói demasiadamente. Bate a solidão, a sensação de que foi abandonada, que virou órfão, e, a solidão invade. Contudo, sei e entendo a separação, em que o tempo será o responsável pelo reencontro, e neste dia, estarei de braços abertos para doar todo meu carinho e AMOR.

Ana Paula (Paulinha)