quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Meio sem querer...

De repente, olho as horas e vejo que o tempo já correu tanto, enquanto eu estava aqui, distraída, fazendo algumas mudanças no Palavra, que já é hora de dormir. Isso quer dizer, como nos episódios dos Teletubbies (lembra?), que já “é hora de dar tchau”.

Pois é. Mal parei, mal descansei, mal iniciei aquela tarefa que estava pendente; mal comecei aquele trabalho que queria acabar hoje; mal concluí as mudanças...

Ah! E o lazer, então, que eu nem tive, nesse resto de noite? Pra relaxar, desopilar a cabeça, espairecer um pouco... Sei lá!

O tempo já se esgotou. É tarde!

É hora de me despedir de hoje para me preparar para amanhã (que logo, logo chega), quando o hoje já será passado – um tempo absolutamente descartável, sem função nenhuma mais...

É. Está ficando cada vez mais incontrolável essa urgência de viver. As horas passam cada vez mais rápido. Os dias, os meses, o ano! O tempo está cada vez mais acelerado e inalcançável.

E eu me pergunto: aonde vamos com tudo isso? Pergunto-me, sem ouvir resposta. Para onde corremos tanto? Aonde queremos chegar? Para quê? Por quê?... Para onde?

Heim?... Hã?... Ah, deixa para lá!

Questiono, questiono, e tudo o que escuto de volta é o meu próprio silêncio:

- “Eu não sei!” diz ele, sem me olhar nos olhos.

(e eu desconfio de quem não me olha nos olhos, sabe? Mesmo que seja o indesejado silêncio, que me persegue tanto, mas nem olhos tem...)

Então, sem saber bem o que fazer, sem poder lutar contra o fluir das horas, eu me despeço.

Fazer o que?

Como a Lindinha, no dia em que não tava a fim de salvar o mundo (ela ficava atendendo e desligando, atendendo e desligando, o telefone, que não parava de tocar, e dizia: - Alô? Tchau! Alô? Tchau!...), eu vou fazer de conta que não é comigo. vou fazer que eu nem vi.

Porque é assim que eu me sinto. Como se quisesse negar o que já é fato: está tarde! E sobre isso não há outra coisa que eu possa fazer, a não ser dormir; me entregar...

Então me perdoe o mau jeito, mas eu tenho que ir, tá?. Até mais ver! Até amanhã. Até daqui a pouco... Sei lá!

A gente se encontra quando o vento mudar de direção, está bem? Então continuaremos essa prosa molenga (ou iniciaremos outra; quem vai lembrar?) e gastaremos muitas horas juntos.

- É... Talvez alguns minutos... Hum... É... Quem sabe, uns poucos...
- Ah, deixa pra lá!

Boa noite, então! A gente se fala...

P. S.
Ah! E sobre as mudanças do blog, diz aí, o que você achou?

2 comentários:

Jade Neves disse...

Mãezinha..
Seu blog está lindo e delicado como uma flor ;P!!

Ah, quanto a sua CRÔONICAAA, ta liiinda!!!

Te amo muito muito minha florzinha!!

Beijo ;*********************

Até daqui a pouco!! ;D

Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo! Te amo!

Maria Moura. disse...

também te amo muito, dengo!
bjo.