quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Extra! Extra!

“Se for para começar o dia bem, por que não destacar um trecho mais confortador do Salmo como o que afirma: ‘O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador’?”


Como boa representante do gênero feminino, eu vivo caindo nessas pegadinhas mercadológicas chamadas “promoção”. Infelizmente, dificilmente eu consigo resistir à falsa liberdade que a tal palavrinha sugere. Algumas vezes, só consigo me desvencilhar dessa roubada depois que ela já me causou algum transtorno, me roubou algumas horas de sono, ou quando percebo, à tempo, a armadilha que há por trás da irrecusável proposta...

Ontem mesmo, pesquisando na Internet, eu me deparei com um oferecimento gratuito de um tal de “Plantão Salmos”, que envia diariamente um pequeno trecho de algum salmo para o telefone móvel daquele que se cadastrar nele. Como eu gosto de mensagens evangélicas (referentes ao Evangelho de Jesus), aceitei a oferta sem muito rodeio, apenas procurando me certificar bem quanto à gratuidade do serviço.

No dia seguinte, ao primeiro sinal de mensagem, eu corri em busca do celular para ver o que havia recebido, mas qual não foi a minha surpresa ao ler um trecho do Salmo 18, que mais parecia um convite à violência e aos conflitos interpessoais do que um estímulo à cultura da Paz à qual diariamente me exercito.

“Deste-me também o pescoço dos meus inimigos para que eu pudesse destruir os que me odeiam”, dizia a mensagem. E, ao invés de presenteada, eu me senti foi ofendida com uma frase dessas logo no início do dia. Empurrei a xícara de café para o lado, desistindo de tomá-lo, porque a imagem que me aflorou à mente foi a do primeiro galináceo abatido na hora que eu tratei.

Recém-casada e completamente inexperiente nas atividades domésticas, ao perceber o volume no interior do frango, meti a mão em suas entranhas e retirei de lá uma cabeça despenada, com bico e olhos sem vida, levemente esverdeados, acompanhada de um longo pescoço descarnado e revestido de pelancas. Isso sem falar naquela coloração amarelo-morte que denunciava a triste condição do animal.

Surpresa, a minha reação instintiva foi atirar para longe aquilo que me provocava tamanho horror. Você já deve estar imaginando o caos em que se transformou, em segundos, a minha cozinha, não é? Foi cabeça e pescoço para um canto, pés de galinha para outro, miúdos espalhados pelo chão e aquele corpo desnudo, inerte e escancarado diante de mim, enquanto eu segurava o facão na mão direita, e me esgoelava e dava dezenas de pulinhos sem sair do lugar.

Lembrando agora, a cena me parece patética, mas foi a reação imediata à idéia do “pescoço do inimigo” em minhas mãos. E olha que as aves não me parecem nem tão hostis assim... Bom, mesmo parecendo frescura para alguns, eu posso lhes assegurar que aquilo nada mais foi do que um reflexo da aversão natural à violência, que, desde a mais tenra idade, se percebia em mim.

E não me julgo melhor do que ninguém por isso, mas, talvez, um espírito devedor nesse quesito – em um passado mais distante –, por isso, eu me senti de certa forma lesada pelo tal site com a mensagem que recebi.

Se for para começar o dia bem, por que não destacar um trecho mais confortador do Salmo como o que afirma: “O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador”? Ou, quem sabe, uma frase que nos convidasse a uma fé mais atuante e transformadora, como a que diz: “O caminho de Deus é perfeito; a palavra do Senhor é provada; é um escudo para todos os que nele confiam”?

Já pensou se o receptor for exatamente alguém que está lutando para vencer os seus instintos violentos, e que tenha dificuldades de relacionamento no círculo doméstico, ou tenha um entrave pessoal com um colega de trabalho? Com certeza, já irá se sentir encorajado a “sair no braço” com o primeiro companheiro de jornada que lhe aborrecer... E tudo isso porque “Deus” lhe deu o sinal verde!

Ave, Maria! O melhor é não ceder à tentação das tais ofertas imperdíveis...




5 comentários:

Anônimo disse...

Olá bom dia,

como vc eu tb fui vítima dessas menságens e digo mais fui roubado, pois elas não são gratúitas cada mensagem recebida é cobrado R$ 0,39 dos meus créditos. Em relação a sua frustação não fique por aí procurando esse tipo de coisa. Faça como eu lei a bíblia e deixaremos de ser vítima dessa quadrilha. em fim leia o salmo 126 e lá vc verá coisa maravilhosas.

roberto disse...

alguem ja comseguiu cancelar esse "serviço".
minha mae tambem foi vitima e ta me pedindo ajuda pra cancelar, so que nao acho uma home page ou um numero para mandar uma msg e pedir cancelamento. alguem sabe como faz?

Anônimo disse...

BOM EU QUERIA SABER EM QUAL SITE QUE EU ACESSO PRA ME CADASTRAR E RECEBER ESSES SALMOS???

Laura M, disse...

é apenas mandar sair para o numero..

Douglas disse...

a não é não, já tentei e continuei recebendo as mensagens