sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Momentos e momentos...

“O necessário, às vezes, é bem menos do que se imagina: uma palavra, um olhar, um toque, um sorriso, um abraço...”


Às vezes, tudo o que se precisa é de um pouco mais de sono, alguns minutos a mais de olhos fechados e o corpo largado sobre a cama sem qualquer compromisso urgente a ser cumprido ou uma preocupação maior que o obrigue a levantar e agir.


Às vezes, o que se deseja é ter uns poucos minutos a mais no relógio, um segundinho a mais que seja para não deixar nada pela metade, para que algo terrível não venha a acontecer, para que se tenha a oportunidade de dizer adeus, para que um breve instante se torne “infinito”...


O necessário, às vezes, é bem menos do que se imagina: uma palavra, um olhar, um toque, um sorriso, um abraço...


- “Eu precisava que você me tocasse!” Disse, certa vez, alguém que me pedira uma orientação e em cujo braço eu acabara de segurar com firmeza para tornar mais enfático o que estava explicando.


Uma palavra de incentivo, um olhar profundo, uma mão que se estende, às vezes, é tudo o que faltava para seguir em frente ou começar de novo. Assim como um ombro amigo no qual se possa chorar, um braço que ofereça apoio, o silêncio de alguém que escute um longo desabafo...


Às vezes, só um café pode salvar o dia! Também aquele copo d’água na hora mais precisada ou um chazinho de erva-cidreira feito com todo capricho, ou aquele prato de comida, quando tudo parece perdido...


Noutras, o melhor mesmo é buscar a ajuda do Alto, em oração, e deixar que seja feita a Vontade Maior – Aquela que tudo pode, tudo sabe, tudo vê, conhece os homens a fundo, um por um, e, mesmo assim, os ama incondicionalmente.


Mas há ocasiões em que o melhor é criar coragem – respirar fundo! – e tomar uma atitude, por mais insignificante que possa parecer. O medo excessivo nunca é bom conselheiro, nem o ciúme ou a ansiedade. Muito menos a covardia. Uma pessoa medrosa é capaz de tudo! Uma ansiosa também. O ciumento, então, nem se fala! E o covarde se cala nas horas cruciais...


O medo intuitivo, no entanto, nascido de um perigo iminente, é essencial para a sobrevivência: - “No dia em que eu perder o medo, estou morto!”, disse-me um experiente bombeiro, considerado um dos melhores do País. E eu vi o medo em seus olhos algumas vezes! Mas também lhe assisti a voar pelos ares como se fosse um pássaro, salvando vidas. Vi-o equilibrar-se nas alturas, em pedras escorregadias, como se tivesse garras de águia, embora o medo fizesse parte da sua vida.


Mas há momentos, por mais difíceis que sejam, que é preciso baixar a cabeça, silenciar para não agredir, voltar atrás, pedir perdão, resignar-se, enfim, voltar dois passos para avançar um. Afinal, o fim está sempre mais próximo para aquele que sabe aonde quer chegar.


Acreditar é a palavra! Trabalhar, a ação. E avançar com firmeza de propósitos, sem deixar-se desviar pela correnteza das ilusões. Como diz o Espírito Joanna de Angelis em seu livro Momentos de Saúde:

“O psiquismo divino flui através de mim. [...] Há um fluxo e refluxo de força que me percorre o ser e impulsiona-me ao prosseguimento. De mim depende coordenar os movimentos, eleger a meta e avançar. Submetendo-me a essa força vital, tudo se me torna acessível”.


Pois há momentos na vida em que o homem precisa se comportar como homem, e não como um adolescente ou uma criança indefesa. Também há que ser anjo, responsabilizando-se por outrem, sem, no entanto, julgar-se o “Super-homem”. E, em certas ocasiões, ter a humildade de chorar como um menino sem se sentir fraco por isso.


Vai chegar o tempo em que a sensibilidade e a intuição irão construir morada em cada coração humano, e a compaixão, a caridade e a fé serão as maiores expressões disso. Mas, até lá, é preciso que se aprenda a amar a vida com todas as suas nuanças. E respeitar o próximo como uma extensão de si mesmo. E atuar no mundo como se ele fosse a nossa casa-mãe. E celebrar a existência nos vários, inúmeros momentos de que ela é constituída...

2 comentários:

Anônimo disse...

Maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaamis!!

Te amo muuito, muuuuito, mais que tudo!!
Tu és minha bonequinha e eu sou tua princesinha, e junto com o Guinho e a Donguinha, nossa família está completinha!! :D

Teu blog está lindo, e logo logo o meu também vai estar, porque você que vai me ajudar a criar!!

Te amo muuuuito!!♥
Beeeeijo :**

Da sua filha mais linda e meiga,
Jade Neves. ♥

Maria Moura. disse...

coisa mais linda!!!
a admiração é mútua, bela.
e eu também te amo muito, princesa.
sempre!