sexta-feira, 23 de abril de 2010

Notícias do Planalto


Vai levar um tempo para eu digerir todo o conteúdo que recebi e o arsenal de sentimentos e emoções, profundíssimos, que me brotaram do íntimo neste final de semana, na Capital Federal.

O 3º Congresso Espírita Brasileiro, ocorrido no período de 16 a 18 desse mês, foi um marco para a efetiva implantação do projeto “Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho” – elaborado há mais de 500 anos pelos mensageiros do Altíssimo, liderados por Ismael, para o nosso país.

Culminando com a conferência do tribuno baiano, Divaldo Franco, sob o tema “Chico Xavier, o mensageiro da paz”, domingo à tarde, o evento terminou no dia em que se comemora o advento do Livro dos Espíritos ao Planeta Terra, trazendo novos horizontes para a Humanidade.

Após oito anos da partida do Apóstolo do Amor, como foi chamado Chico pelo amigo Divaldo Franco, espíritas de todas as federações do Brasil e representantes de nove países – entre eles, França, Canadá, EUA e Reino Unido – lotaram o auditório do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, para render homenagens ao maior dos seus representantes – que humildemente se apresentava como “o Cisco de Deus”, referindo-se às últimas sílabas do seu prenome.

Foram quase cinco mil pessoas estudando e relembrando a vida e a obra do incomparável médium Francisco Cândido Xavier – que foi o maior divulgador da Doutrina codificada por Allan Kardec nas terras tupiniquins. Pessoas há que nunca ouviram falar sobre o Espiritismo, mas quando escutam o nome de Chico Xavier sabem exatamente de quem se trata, associando-o principalmente à psicografia e à prática da caridade.

O congresso foi transmitido para dez milhões de internautas e telespectadores do Brasil inteiro, e, entre outras autoridades, contou com a presença do Vice-presidente José de Alencar; do Ministro da Previdência Social, Carlos Eduardo Gabas; do Ministro do Conselho Nacional de Justiça, Marcelo Nobre; e dos Deputados Federais Raquel Teixeira e Luiz Bassuma na solenidade de abertura.

Na oportunidade, foram lançados um selo comemorativo dos 100 anos de nascimento do médium de Uberaba, com uma tiragem de 600 mil unidades, e uma Medalha Comemorativa. E vários artistas e amigos de Chico se apresentaram cantando, declamando e dando o seu depoimento em homenagem ao seu centenário.

Nestor Masotti, presidente da Federação Espírita Brasileira, disse que o objetivo do congresso era a promoção do bem, tendo em Chico Xavier uma referência para todos os brasileiros. Já o Deputado Luiz Bassuma (presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Vida) declarou que o congresso e as comemorações do Centenário de Chico Xavier (realizadas também em sessões solenes na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, nos dias 13 e 15, respectivamente) “fazem parte de um momento divisor de águas em que acontece uma aceleração no processo de espiritualização do Brasil e do mundo”.

E o Vice-presidente da República citou uma frase de Cervantes, afirmando ser a humildade a mais importante das virtudes – sem a qual não há virtude que o seja – e considerando que não só aprendeu a admirar o médium mineiro durante toda a sua existência, como também a respeitá-lo pelo maravilhoso legado que deixou através dos livros psicografados “de uma forma notável”.

Para Divaldo Franco – o maior tribuno espírita da atualidade –, 2010 assinala um novo período na Terra, dedicado ao espírito imortal, em toda a sua grandeza. “Este congresso – pressentia – oferecerá aos interessados a proposta do Espiritismo nos seus aspectos científicos, filosóficos e morais-religiosos, convidando todos à reflexão em torno do relevante significado da existência humana”.

Quanto a nós, vamos, daqui, agradecendo a Deus, e aos amigos queridos que nos patrocinaram esta oportunidade, com o desejo sincero de nos empenharmos cada vez mais a servir em nome do amor, como nos ensinou Chico.

3 comentários:

Anônimo disse...

Moka repórter-fotográfica, Moka articulista, Moka repórter de texto... Moka vizinha de uma quadra... E que eu nunca vejo... Estou com saudades. Ler teus escritos já não é suficiente para matar as saudades daquele convívio diário de redação... Vamos nos encontrar? Papear ao vivo e em cores? Só não vale marcar em Canhotinho... Bjoks,

S.

Elô Baêta disse...

Gaviota, esplêndidas as suas notícias do Planalto, tanto pelo profundo conteúdo lá divulgado quanto pela sua habilidade jornalística e informativa de transmitir a nós aqui, na terra dos marechais, e a todos os seus leitores tudo o que lá foi dito com a mesma emoção de sempre, uma das mais brilhantes características dos seus escritos. Parabéns, minha amiga. Beijos cheios de luz

Maria Moura. disse...

palavras amigas, amigas queridas, queridos corações...
que bom tê-las por aqui, meninas! seus comentários enriquecem este espaço, tenham certeza disso.
quanto a vc, Sandra, eu também estou saudades. mas estava mesmo pensando em marcar em Canhotinho, oh!...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...
um beijo amor. vamos marcar sim.